2019 chega cheio de otimismo no setor da indústria.

As expectativas para o novo ano são boas, conheça alguns motivos.

Segundo a CNI (Confederação Nacional da Indústria), a economia nacional em 2018 frustrou em seu pequeno crescimento de 1,3%, e para 2019 a CNI estima que o crescimento será maior, sendo de 2,7%.

A CNI acredita que 2019 será mais favorável para a economia, pois a estimativa é que o consumo das famílias brasileiras aumente para 2,9%, isso se dá devido à grande expectativa nas reformas, entre elas a previdenciária e tributária.

 A expectativa positiva de crescimento está em vários setores da economia brasileira, e isso não é diferente na indústria de produção de plásticos que após duas temporadas de queda se espera superação significativa para 2019, sendo que o estado de Santa Catarina teve um bom desenvolvimento econômico com um aumento de 4,4% na produção e na contratação, bem acima da média nacional que foi de 1,8%, de Janeiro a Outubro de 2018 segundo a ABIPLAST (Associação Brasileira Indústria de Plástico).

 Existem atualmente cerca de 12 mil empresas na produção de plástico no cenário brasileiro atual, de variados portes e diversos segmentos de produção. Como se trata de um número grande este setor tem um papel muito importante no PIB (Produto Interno Bruto), então se a economia cresce, o setor industrial de plásticos também cresce, segundo a ABIPLAST.

 Atualmente cada habitante brasileiro consome em média 35kg de plástico anualmente, apenas 5kg abaixo da média mundial que consome 40kg de plástico por ano, mas este número ainda está abaixo de outros países mais desenvolvidos com o Estados Unidos que consome 100kg por habitante em média e os países Europeus que consomem 80kg por habitante em média anualmente, estes são números que tendem a crescer nos próximos períodos, já que os produtos em plástico são parte essencial no dia-a-dia das pessoas, além de cada vez mais substituírem outros materiais, tendo em vista as suas inúmeras vantagens.

 O plástico gera grandes oportunidades de negócio pelas suas inúmeras aplicações e seu fácil reaproveitamento, por este motivo surge um grande desafio que é conscientizar a população e o poder público sobre os benefícios para o meio ambiente que a produção de plástico reciclável traz, além de conscientizar sobre os efeitos nocivos do descarte inadequado de resíduos plásticos.

Com as melhorias esperadas para o ano de 2019, que por consequência exigirá uma produção mais alta, surge a demanda pelo aumento do quadro de funcionários, fazendo cair a taxa de desemprego.

 A CNI aponta uma queda média de 11,4% na taxa de desemprego. A inflação está com tendência de diminuir em 2019, a média nacional estipulada pelo Conselho Monetário Nacional é de 4,25% e a expectativa para este ano é de 4,1%, ou seja, abaixo da média.

O país precisa aumentar a taxa de crescimento de maneira permanente e sustentável, com medidas microeconômicas, o novo governo está levando muito otimismo quando vemos os indicadores de confiança com taxas expressivas muito positivas, assim explica o gerente executivo da CNI, Flavio Castelo.

E você o que espera para o ano de 2019?

Fontes:

https://bit.ly/2Foq7gB Mundo do Plástico.

https://bit.ly/2QCt1jO Correio Brasiliense.

Conheça o PET, e os novos produtos da linha.

O plástico Poli Tereflato de Etila, também conhecido pela sigla PET, é o plástico mais reciclado em todo o mundo pelas suas inúmeras vantagens, benefícios e diversas aplicações.

No Brasil o PET está dando os seus primeiros passos, mas já é um dos países que mais o recicla desde 2011, gerando uma grande demanda em produtos com embalagens recicláveis. O PET é um material termoplástico, ou seja, em temperaturas adequadas ele amolece com facilidade, podendo ser modelado inúmeras vezes sem perder suas propriedades, o processo mais usado para este material é o mecânico.

 O PET não é biodegradável e leva em média 100 anos para iniciar a sua decomposição, ou seja, a única solução é a reciclagem.

 A reciclagem do PET tem inúmeras vantagem, veja algumas:

  1. Além de reduzir significativamente o volume de lixo nos aterros sanitários e lixões,

sua ausência também gera uma enorme vantagem na decomposição de materiais orgânicos, pois o plástico veda esse processo de decomposição, sem contar que sua reciclagem reduz muito o lixo em córregos e rios, que causam contaminação de nascentes prejudicando a saúde pública e o acumulo de lixo nas ruas e encostas, que causam desastres naturais como enchentes, deslizamentos em encostas e um enorme estrago na paisagem.

  • Apresenta baixo custo de transporte, já que é 10 vezes mais leve que o vidro por exemplo.
  • Possui alta resistência química (veda odores e é altamente seguro quanto a contaminação) e mecânica (é leve e não se rompe com facilidade).
  •  Por ser um material leve possibilita empilhar várias embalagens para o transporte e não causa tantos riscos de acidente como acontece com materiais mais frágeis.
  • Reduz o preço dos produtos, já que a embalagem de PET é mais barata que a maioria disponível no mercado atualmente.
  • Gera economia de água e energia elétrica em seus processamentos.
  • Evita o desperdício de produto, já que as embalagens de PET não se roupem com facilidade.

 São inúmeras as vantagens e benefícios das embalagens de PET, não é mesmo?!

 Agora conheça algumas de suas características:

  1. Brilho
  2. Transparência
  3. Alta resistência a impactos
  4. Baixo peso.

       Como o PET surgiu

O PET foi desenvolvido em 1941, pelos químicos americanos Rex Whinfield e Jame Dickson, já logo após da Segunda Guerra Mundial quando vários segmentos econômicos foram afetados, inclusive a produção de algodão, então ouve a necessidade de substituir o algodão por outro material equivalente, ou seja, a primeira aplicação do PET foi na indústria têxtil, surgiu então o Poliéster que conhecemos até hoje.

Em meados dos anos 80 as sobras deste material começaram a ser coletadas nos Estados Unidos e no Canadá para aplicações não alimentícias.

Mais tarde, nos anos 90, depois de longos estudos sobre as propriedades do PET, o governo americano autorizou o seu uso na linha alimentícia e logo se popularizou pelo mundo todo.

No Brasil, o uso do PET foi iniciado nos anos 70 o PET se iniciou, logo após uma revisão sobre os impactos ambientais, mas o seu uso em embalagens alimentícias se iniciou apenas em 2008, quando a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), após longos estudos liberou o PET para esta finalidade, garantindo total segurança.

 Agora que você já conheceu detalhes sobre o PET, conheça nossos novos produtos da linha PET:

Potes PET 100ml, 120ml, 150ml, 200ml e 220ml.

 Nossos novos potes em PET são ideias para as linhas Nutracêutica e Farmacêutica, podem ser utilizados como embalagens de medicamentos, polivitamínicos, cápsulas, fitoterápicos, manipulação e hepáticos.

Flaconetes PET 10,5ml e 20ml

 Os flaconetes em PET de 10,5ml e 20ml são ideais para acondicionamento de líquidos na utilização de doce única, para a linha de medicamentos e suplementos.

Fontes:

https://bit.ly/2S81MPE O tempo economia.

https://bit.ly/2QASFu6 Brasil escola.